terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Receita para um ano novo feliz

Eu tava engolindo sem mastigar e aceitando de cabeça baixa tudo o que foi me dado (sem pedir). Resolvi bater o pé e fazer diferente dessa vez. Se gritar adiantasse, eu já estaria sem voz. Mas questão não é essa, a vida passou e os minutos tem se mantido estáticos, assim como... eu.
Será que adianta assistir a vida passando, simplesmente cruzar os braços, impotente, se sentindo vítima dos teus próprios temores?
Joguei o dado e esqueci de fazer a aposta. Mas quer saber? To me lixando pra todas as regras impostas pela sociedade.
Eu disse pra minha alma que seria diferente dessa vez, xinguei os mendigos, atropelei as formigas e dei um soco na cara do terapeuta e de todas as fantasias estúpidas desaceleradas que vagam pela minha mente sem permissão.
Comecei o ano com o pé esquerdo, pisei na merda, não fiz promessa, não pulei as sete ondas e esqueci de comer a lentilha. Topei que começar o ano de trás pra frente talvez pudesse me dar sorte ou pelo menos mudar a rota do azar. Grande bobagem. Mas antes de dormir ainda tinha esperanças, falei com Deus, Ele não me respondeu. Só ouviu minhas lamúrias e pesares sobre a minha ingratidão por tudo que tenho. Grande bosta. Eu sou uma bosta.
Mas me senti culpada, pedi desculpas pra Ele, lembrei de problemas reais que eu não tenho.
O ano começou e eu nem senti. Abri os olhos e achei que estava no inferno, mas era só sol que entrava pela manhã no meu quarto. Quando percebi estava na mesma rotina de 2009. Olhei pela janela, inspirei o ar abafado de país tropical e pensei: Nossa! Que mudança drástica!
Mas a verdade é a seguinte, nasceu dia, nasceu noite e a vida vai ser essa, o caminho não pode mudar, mas podes trocar de carro e acelerar ou resolver ir a pé, naquela mesma pressa de antes, esperando as coisas virem ao teu encontro, e infelizmente isso não vai acontecer.

Foi então que levantei a bunda gorda da minha cama e fui atrás.
Fui atrás da minha mãe e perguntei o que tinha para o almoço.

6 comentários:

disse...

Esse texto é teu. primux?

Marlon disse...

Tadiiiiinhos dos mendigos!

E o que tinha pro almoço?

juliana disse...

O texto não se trata especificamente de mim, foi mais uma alfineta em mim mesma, saca?
ahuaihiahiauh

disse...

Ficou super fofo, primux!!!!
Adorei.

Beijos

Renata disse...

Oi, Juliana!
Vc não me conhece, eu não te conheço, mas hoje, sem nada pra fazer, rondando o Orkut, eu tava olhando umas comunidades e me intrigou o fato de vc sempre estar nelas! Daí, cliquei no seu Orkut e me surpreendi ao ver que tínhamos mtas comunidades em comum! Resolvi conhecer seu blog e adorei. Adorei pq vc se parece mto comigo (e eu me adoro, rsrs).
Brincadeiras à parte, deixo aqui meus parabéns, o blog é mto legal e as comunidades são hilárias. ^^
Abraços,
Renata.

Pink disse...

Post novo, que é bom...